Obrigado por me mostrar como é estar na pele das minhas vitimas.

Obrigado por confirmar o que eu já desconfiava: quando chegasse a minha vez ninguém teria piedade.

Obrigado por me mostrar que, como suspeitava, somos humanos e nos permitimos tentar, arriscar e seguir em frente, não importando quais as conseqüências para o outro.


Pois buscamos a nossa felicidade, e ela nem sempre concorda com a felicidade do outro.


Obrigado por me ensinar que sou bem mais vil do que imaginava, e isso não é culpa sua, mas você foi um canal para que essas atitudes surgissem novamente.


Obrigado por me ensinar que os defeitos são latentes, e só depende de mim permitir que eles aflorem.


Agradeço por ter mostrado o que eu tenho de pior e o que eu tenho de melhor.


Pois pude perceber que o que existe de bom em mim é muito maior do que existe de mal.


E que a minha bondade é incondicional, enquanto que a minha maldade tem endereço certo.


Agradeço também por ter me mostrado que nada do que fiz no passado, com outras pessoas, é condenável.


Porque hoje podemos machucar e amanha sermos machucados.


E ferir ou não o outro é uma condição humana na busca da felicidade e da realização, e não um defeito de caráter, pois nem sempre acertamos nas nossas buscas.


Obrigado por me mostrar a magia de ser humano, com todas as nuances de altivez e baixeza que isso pode ter.


One Comment

  1. Paula Figueiredo
    Posted 08/12/2009 at 01:51 | Permalink

    É Rodrigo… A vida ensina… E a gente crescendo a cada dia! Por isso, nem um segundo é desperdício!
    Agradecer é o segredo!
    Parabéns!

Leave a Reply