Eu acredito da permissão do amor.

Acredito que nós nos permitimos amar, que permitimos alguém entrar em nossas vidas, por terem características tais que mereçam receber o que chamamos de amor. Independente de quem seja.

É claro que isso não é consciente, muito menos racional.

E quando a dor do rompimento e da rejeição gera raiva, rancor, ciumes, desejo de posse, e invariavelmente obsessão, isso é qualquer coisa, menos amor.

É claro que isso é só racionalização.
Mas eu não conheço maneira melhor de um sentimento aumentar do que sentindo. E maneira melhor de um sentimento acabar do que pensando.


2 Comments

  1. Stephanie Carnaúba
    Posted 20/10/2009 at 15:54 | Permalink

    Ro,

    Sabe qual é o problema? É o medo. Ninguém se envolve, se da oportunidade por medo de sofrer. Ninguéms e deixa preencher. Não admitimos o outro.

    O mundo é cada vez mais impessoal e tudo se torna plástico.

    Isso é muito triste, mas quem vai quebrar o ciclo?

  2. Anonymous
    Posted 20/10/2009 at 21:47 | Permalink

    Ele é que não vai ser.