Existem milhares de livros por ai ditando os passos de pessoas inteligentes, bem sucedidas, magras, lindas, eficientes. Ditando passos como amar melhor, comer melhor, em fim, viver melhor.

Para mim existe também um primeiro passo, muito simples, e depois dele clareia tudo nessa vida: admitir. Depois que eu admito que sou impotente perante os meus pensamentos e vontades tudo fica mais fácil. Reorganizo a mente, me desfaço de velhas vontades e crio novos pensamentos.

Foi assim que ontem a noite, ao revirar velhas fotos, lembrei de um momento do passado em que admiti minha impotência e fiz o mesmo perante novos pensamentos. A mente mente, isso é um fato.

Vendo a velha foto de uma igreja, lembrei de um tempo, quando passava sempre por uma igreja que existe na praça Clóvis Bevilaqua, ao lado da Praça da Sé (SP/SP).

Um dia, atormentado pelas araras e já completamente submisso aos meus pensamentos, entrei, peguei um papel e danei a escrever. Esse papel estava ao lado de uma caixinha onde os fiéis da igreja escreviam nomes de pessoas que precisavam de preces e desejos pessoais, depois os religiosos recolhiam os papeis e faziam orações para os pedidos.

Não queria nem saber se alguém iria ler ou rezar sobre o que eu escrevia, queria é por para fora. Escrevi, sem ler e sem reler. Ao terminar pensei, “mas ela nem irá receber!”.

Isso não faz a menor diferença, eu preciso tirar algo de dentro de mim, não colocar dentro de outra pessoa.

Ontem escrevi meu primeiro passo e estou mais leve.


2 Comments

  1. Luciana Sabbag
    Posted 24/01/2009 at 13:25 | Permalink

    Certíssimo! E colocar pra fora é sempre o melhor remédio!

  2. Mari Nobre
    Posted 04/02/2009 at 18:06 | Permalink

    mas certo que tirar pra fora é saber que não se deve colocar em ninguém! Sábio Fack!

Leave a Reply