Pegue lápis e papel e comece a marcar sim ou não.

Se a caneta falhar já vá treinando a resiliência…rsrsrs

A regra é simples, quanto mais sim mais resiliênte.

1 – Carinho e Apoio

__Eu tenho varias pessoas em minha vida que me dão amor incondicional, que me ouvem sem me julgar e sei que posso contar com elas.

__Eu participo de um grupo escolar, de trabalho, de fé ou qualquer outro grupo onde me sinto “cuidado” e valorizado.

__ Eu me trato com bondade e compaixão e invisto tempo para cuidar de mim mesmo (alimentação balanceada, horas de sono suficientes, exercícios físicos)

2 – Expectativas de Sucesso

__ Eu tenho varias pessoas em minha vida que deixam claro que acreditam em minha capacidade de ser bem-sucedido

__ Eu recebo a mensagem “Você pode ser bem-sucedido” no meu trabalho ou escola.

__Eu acredito em mim mesmo na maioria das vezes e geralmente me “dou” reforços positivos sobre minha habilidade de alcançar objetivos mesmo quando encontro dificuldades.

3 – Oportunidades de Participação Significativas

__ Minha Voz (opinião) e escolha (o que eu quero) são ouvidas e valorizadas nos meus relacionamentos pessoais mais íntimos mais próximos.

__Minhas opiniões e ideias são ouvidas e respeitadas no meu trabalho ou escola.

__ Eu me disponibilizo para ajudar os outros, uma instituição religiosa ou escola.

04 – Laços Positivos

__ Eu faço uma ou mais atividades ou hobbies depois do trabalho ou escola.

__ Eu participo de um ou mais grupos (clube, instituição religiosa, time, etc) fora da escola ou trabalho.

__ Eu me sinto “ligado ou próximo” á maioria das pessoas no meu trabalho ou escola.

05 – Limites Claros e Consistentes

__ A maioria dos meus relacionamentos com amigos e familiares tem limites claros e saudáveis (respeito mutuo, autonomia e equilíbrio entre dar e receber).

__ Eu entendo com clareza as expectativas e regras claras vigentes no meu trabalho e escola.

__ Eu estabeleço e mantenho limites saudáveis para mim mesmo ao me colocar perante os outros, não deixo que tirem proveito de mim e digo “não” quando necessário.

fonte: Ruymara Teixeira, pedagoga e amiga


Leave a Reply